O motor de combustão vai sobreviver com gasolina sintética

A Porsche aposta nos combustíveis sintéticos para reduzir em 90% as emissões de CO2 dos motores de combustão interna.

Embora os governos e a maioria das marcas de automoveis pareçam seguir o caminho ‘totalmente elétrico ‘, há quem tente fazer com que o futuro do automóvel não envolva apenas carros movidos a eletricidade.

Claro, uma abordagem tecnologicamente neutra é necessária para alcançar esta transição ecológica e atingir a meta da neutralidade climática. Mas existem alternativas, como a iniciada pela Porsche , que também reduziria drasticamente as emissões de CO2 E dessa forma mantendo os motores de combustão!

O objetivo, então, é promover estudos distantes do mundo da eletricidade, mas que, no entanto, são importantes para reduzir as emissões de dióxido de carbono. A Porsche está a seguir um caminho semelhante e já tem uma fábrica para produzir eFuel, a ‘gasolina sintética’ que promete reduzir a poluição em 90% em relação aos combustíveis fósseis tradicionais.

Salve o futuro preservando o passado

A planta piloto está localizada em Punta Arenas, na Patagônia Chilena, e terá uma capacidade de produção de 130.000 litros de eFuel até ao final de 2022. Nos anos seguintes, porém, a produção aumentará drasticamente, pois a Porsche espera chegar a 55 milhões de litros em 2024 e 550 milhões em 2026.

A usina será construída graças à colaboração, principalmente, da Porsche e da Siemens Energy, além da contribuição de inúmeras empresas internacionais atraídas pelo potencial econômico do projeto.

Michael Steiner, membro do Conselho de Administração responsável pela pesquisa e desenvolvimento, é o responsável pela coordenação e direção deste projeto na Porsche e afirma sobre o projeto de combustível sintético:

“Este é um passo importante em nossa estratégia de sustentabilidade. Este projeto permitirá que a Porsche alcance zero emissões de carbono até 2030. “

O objetivo da empresa é adaptar o combustível para que também possa ser utilizado em todos os seus carros históricos. Enquanto isso, em 2022, os carros Porsche Mobil 1 Super Cup serão os primeiros a rodar com eFuel.

O Chile não foi escolhido ao acaso pela Porsche. Em primeiro lugar, a Patagônia possui as condições naturais perfeitas para o uso de energias renováveis. O ponto de partida para o combustível sintético é a energia eólica. É usado no processo de eletrólise para separar as moléculas de água em oxigênio e hidrogênio.

O hidrogênio ‘verde’ obtido a partir desta reação combina com CO2 do ar para produzir metanol sintético, que então é convertido em eFuel. Além disso, a própria administração política chilena está determinada a apostar fortemente nas energias renováveis.

Com a Estratégia Nacional de Hidrogênio Verde, o Chile propôs se a tornar-se o país mais barato do mundo para ‘fabricar’ hidrogênio verde. Especificamente, a capacidade do país de produzir esse verdadeiro combustível passará de 5 gigawatts em 2025 para 25 gigawatts em 2030.

ESTAMOS NO INSTAGRAM:

Segue-nos no Facebook!

8